Consequências do anticoncepcional

Um dos primeiros passos indicados pra mulher que começou a pensar em engravidar é ir na ginecologista e fazer uma checagem completa da sua saúde.

Eu sempre tive o costume de fazer consultas anualmente, maaaas de uns anos pra cá acabei não indo, mesmo sabendo da importância, então eu sabia que esse seria um passo importante nessa jornada.

Como falei nesse post aqui marquei uma consulta com a Dra. Danielly e ela me pediu exames de imagem e de sangue.

Assim que fiz os de imagem já fui ler o resultado/conclusão e lá dizia que meus ovários tem tamanho reduzido, pensei “putz, e agora? Será que sou infértil?”. Joguei no Google e descobri que a redução no tamanho dos ovários muitas vezes é causada pelo anticoncepcional. Tá ai uma coisa que nunca me disseram, que se eu tomasse Yaz ou qualquer outro eu teria essa consequência. Tenho 29 anos e tomo ele todos os meses desde os meus 18. 11 anos tomando anticoncepcional e só fui dar a atenção pra isso agora.

pills-1354782_1920

Fiz vários exames de sangue e entre eles o FSH e mais outro e eles mostraram um resultado super baixo, já me assustei, porque vou lendo os resultados e vendo se estou dentro dos parâmetro e nesses eu estava muito abaixo do indicado. Lá fui eu pro Google de novo e descobri que também é consequência do anticoncepcional, e que ele atua bem nesse hormônio mesmo, impedindo que os folículos liberem os óvulos (ou algo assim, a leiga aqui leu, leu e entendeu isso, se estiver errado me corrijam!). Ou seja só vou saber se meu corpo produz/tem níveis normais de FSH quando parar com o uso do contraceptivo.

pregnant-2277768_1280

Isso significa que o anticoncepcional me deixou infértil? Pelos estudos que li, a resposta é não, mas se eu for infértil ele vai mascarar isso até que eu pare de tomar e faça os exames novamente.

Vocês conhecem mais alguma consequência ou estudo que indique a consequência de se usar anticoncepcional? Me contem!

Anúncios

Decidimos ter filhos. E agora?

Passamos a fase da decisão, mas ainda estamos caminhando e, por hora, decidimos nos organizar para tentar engravidar em 2020. Tentar é a palavra certa, já que não sabemos se vamos conseguir ou quanto tempo vai demorar até que a gravidez de fato ocorra.

baby-1299514_1280

Pra começar a nos organizar para esse momento eu  pesquisei um pouco, mas nada parecia se encaixar com o meu momento, a maior parte dos textos já parte pra começar a tentar ter filhos e a programação que vem com a gravidez, mas eu queria algo pra quem quer se organizar para começar a tentar, então resolvi criar meu próprio texto (e caminho) e vou tentar atualizar esse post com o que for acontecendo! Quando a gente passar para a próxima fase vou fazer uma versão resumida deste post.

1- Entender mais sobre as formas de parto e a procura por uma ginecologista e obstetra: Sempre li muito sobre esse assunto e a violência no parto é algo que me assusta muito. Por isso assim que tomamos a decisão já iniciei a busca por uma médica (nessa área tenho preferência por mulher, mas sei que exitem vários médicos muito qualificados também) que atenda e acredite nas mesmas coisas que eu. Por já ter algum conhecimento eu passei a pesquisar mais sobre parto humanizado e natural e passei a buscar uma médica que atenda nessa linha. Cheguei em alguns nomes e pedi indicações e acabei chegando na Dra. Danielly Werka. Marquei uma consulta porque apesar de não começar a tentar engravidar nesse momento eu já quero que a médica me conheça e tenha um certo histórico sobre mim e não só me acompanhe na gestação e parto, mas seja a minha ginecologista, que a gente crie esse vínculo desde já.

Sou controladora e a ideia de só iniciar essa busca quando já estivesse grávida me deixa ansiosa demais. Já imaginou se eu demoro pra encontrar uma médica compatível?

Também tinha uma preocupação em fazer alguns exames e verificar se minha saúde está ok, se o hipotireoidismo está sob controle (a tireoide afeta a fertilidade). Então já aproveitei para agendar alguns exames de imagem de rotina e de sangue também.

Detalhe importante: o meu plano de saúde já tem cobertura, então não precisei me preocupar com isso, mas é algo importante, já que os planos de saúde costumam ter carência para a realização do parto.

2- Lista de coisas que queremos fazer antes de ter filhos: Vi várias listas assim, com 8 ou 10 coisas pra fazer antes de ter filhos, mas mais uma vez não consegui me identificar com os itens e comecei a montar uma nossa com coisas bem pessoais, que vão desde “colocar um espelho no banheiro” até “reduzir medicação para o pânico”. Gostei bastante dessa lista não só para realmente colocar coisas que queremos concluir, mas para começar a montar uma memória escrita dessa nova fase da vida. Tenho quase certeza de que não vamos concluir toda a lista e nem queremos condicionar a gravidez ao término, mas é bacana como lembrança daquilo quer gostaríamos de fazer agora.

3- Começar a ler sobre gravidez e educação: Sou uma pessoa que gosta de ler e aprender e sempre me interessei sobre educação infantil, por isso já aproveitei para pegar amostras de livros no Kindle, baixar alguns pelo Kindle Unlimited e marcar outros na minha lista de desejos. Se vocês tiverem algum livro legal para indicar coloque nos comentários. baby-200760_19204- Organizar as finanças: Já começamos a organizar nossas finanças para ter uma folga mensal que no futuro será direcionada à gravidez e todos os gastos que vem com ela e com a chegada do bebê.

O que mais vocês acham importante colocar na lista?

Das voltas que a vida dá

Nunca soube se iria me casar, mas sempre desejei ter filhos. Na minha adolescência já me sentia confortável em planejar um futuro com filhos adotados e uma criação independente. Eu seria um dessas mulheres de negócios, muito bem sucedida, com filhos adotados, um gato e um cachorro. Casa perfeita, tudo sob controle e impecável, mas a vida, ah essa vida, deu uma cambalhota com twist carpado e logo no começo do faculdade eu conheci meu futuro marido. Foi aí que tudo mudou e eu mudei também. Até conhecer o Le tudo que me era habitual era uma vida dedicada ao trabalho com tendências workaholic (não que eu tenha abandonado tudo isso, mas hoje estou um tiquinho mais leve).

Apesar de eu colocar a culpa dessa mudança na chegada do Le, a mudança foi minha, muito minha e forçada pela síndrome do panico (que hoje vejo mais como algo que veio me alertar e me ajudar e não mais como um tormento), mas esse post não é sobre isso. Vamos voltar ao tema: Casamento e filhos.

Como vocês perceberam falei ali que conheci meu futuro marido, então mesmo quem não me conhece já deve ter imaginado que não virei a mulher solteira de sucesso com produção independente, virei algo diferente, mas de certa forma, ainda com sucesso!

O casamento não desejado na adolescência passou a se tornar uma vontade crescente, a gente sabia que depois de 7 anos juntos queríamos morar juntos, mas casar? Será? Depois de idas e vindas decidimos que somos mais tradicionais do que imaginávamos e queríamos sim um casamento, com cerimônia, festa e pessoas amadas pra compartilhar esse momento.

Ok, casamos no final de 2015. e agora? Todo o meu planejamento de adolescente mudou. Será que eu ainda queria ter filhos? E toda essa responsabilidade que vem junto? A influência sobre esse outro ser que tem suas próprias vontades e aspirações? Botar criança nesse mundo que tá todo errado, cheio de violência e coisas ruins, quem em perfeito juízo poderia fazer isso? Por muito tempo neguei meu desejo, me convenci de que não sou capaz de ser mãe, que na verdade até gosto de criança, mas não queria ter filhos não, não nasci pra isso.

O tempo passou e a síndrome do pânico deu sinais de que iria voltar, com isso veio uma mudança maravilhosa na minha vida: venci minha própria resistência e tomei a decisão de procurar uma psicóloga.

Na terapia chegou um momento em que o assunto de maternidade passou a ser mais frequente até que parei a negação e aceitei meu desejo: quero sim ser mãe e ter filho/a.

Desejo aceito e agora? Conversei com o marido e confirmei o que já sabia: ele também tem esse desejo. Coração confirmado agora entra a razão: já temos condições de ter filhos? Financeiramente falando? Na verdade não, mas o que podemos fazer pra tornar isso real?

Estamos nessa fase, planejando, avaliando, esperando o momento chegar, mas caminhando.

Mudanças da vida e os quase 30

Um dos últimos posts do blog foi sobre a lista de coisas que eu gostaria de fazer antes dos 30 anos, publiquei em abril de 2017 e é incrível como em pouco mais de um ano eu já mudei tanto minha forma de pensar e avaliar a vida. Então lá vai a lista anterior com atualizações e comentários:

  1. Fazer uma viagem internacional com o Le (pode ser Europa, Eua ou se não der tá valendo até Paraguay) – em abril eu nem imaginava que em outubro do mesmo ano eu ia realizar um sono que tinha desde 2008: ir pra Disney com o Le! 
  2. Completar a iluminação de casa – essa nem sei, já não é mais uma prioridade, mas se acontecer vai ser bacana
  3. Ter nosso armário do quarto – feito!! Esse ano conseguimos mandar fazer o armário ele tá lá, bem lindão!
  4. Tentar começar um negócio novo – em maio de 2017 nasceu a Wooden-Kalt Candle Co. 🙂
  5. Começar o aprendizado de uma nova língua – esse ainda é um desejo que deve ficar pro ano que vem, talvez dê tempo de começar antes dos 30
  6. Tentar um esporte/exercício novo – em setembro comecei Pilates e amo demais
  7. Fazer algo que tenho medo – putz, fiz tantas coisas, mas a viagem pra Disney foi uma das maiores. Apesar do sonho eu estava com muito medo por conta das crises de pânico. Amo montanha russa, mas estava mortinha de medo de ela ser gatilho pra crise. No fim das contas deu tudo certo, mas o medo foi grande!
  8. Aprender a dirigir (tenho carteira, mas nunca dirigi depois da auto-escola) – Vish a vontade de dirigir tem aumentado, mas ainda não consegui pegar o carro
  9. Cozinhar alguma coisa difícil – o que é difícil? hihi cozinhei várias coisas novas, mas acho que nada muito complexo
  10. Conhecer uma cidade nova no Brasil  – Conheci Brasília! Foi uma visita curta, mas achei muito legal conhecer nossa capital! 
  11. Pintar uma parede – putz, marido pintou, mas deixei passar!
  12. Organizar as fotos do casamento – feito! 
  13. Vender algo feito por mim – Olha a Wooden-Kalt aqui de novo!
  14. Presentear com algo feito por mim – Mais um da Wooden-Kalt
  15. Fazer uma poupança – putz a conta existe, mas a gente não tem conseguindo guardar muito dinheiro não
  16. Fazer um pagamento extra no financiamento do apartamento – Graças ao FGTS do maridão esse pagamento saiu
  17. Ter uma rotina mais saudável (melhor alimentação e mais exercícios)  – esse eu oscilo muito. Até consegui um pouco, mas quando reduzi e depois parei de tomar uma das medicações pra Síndrome do Panico eu voltei a me alimentar mal.
  18. Guardar dinheiro pra viajar pra Disney em família – Completo com sucesso! Fui ano passado com o marido e vou em janeiro com irmã, irmão, pai e mãe!
  19. Terminar de ler Mulheres que correm com o lobos – terminei e indico pra todo mundo!
  20. Manter minhas plantinhas vivas – vish, sou matadora de plantinhas. Agora entendi que meu apartamento não tem muita luz e as plantinhas só sobrevivem em certos lugares da casa.
  21. Aprender mais sobre um assunto que gosto, pode ser psicologia, moda, sociologia, o que for! Tentei, mas ainda não consegui
  22. Encontrar uma maneira de me organizar que funcione de verdade (agenda, planner, app) – Ixi, muitas tentativas, mas sem o sucesso desejado

 

A lista era essa, mas a verdade é que por mais divertido que seja montar algo assim não tem absolutamente nada que eu precise fazer antes de completar 30 anos. As vezes é difícil aceitar a vida adulta e os 30 anos parecem gritar na nossa cara que a partir dessa idade temos mais responsabilidades e devemos começar a agir como um adulto de fato, uma pessoa mais velha, centrada e equilibrada. Só que não tem nada que eu precise deixar de fazer após completar meus 30 aninhos, não tem nada que seja permitido com 29, mas não com 30, 31, 32…

Por isso deixo aqui esse projeto e termino ele assim mesmo, como cara de coisa que não teve fim. 😉

De volta ao lar

Depois de muito pensar resolvi reativar o blog!

Quando parei é porque estava numa fase corrida e turbulenta e já nem acessava outros blogs também. Entrei com tudo no Instagram (@deniseiffert) e o Forever Petit foi deixado pra trás.

De um tempo pra cá voltei a acessar blogs (de viagem, decoração e de outros assuntos que fazem parte da fase que vivo agora) e comecei a pensar em voltar a escrever. Relutei muito porque apesar de amar ler, escrever não é meu forte, mas a vontade de voltar a compartilhar achados, dicas e pensamento foi mais forte, então hoje volto para o lar e reativo o querido Forever Petit.

Pensei em começar um blog novo ou mudar o nome, já que ainda sou baixinha, mas já não visto mais o tamanho PP e sabe o que? Forever Petit sempre foi um lar, um lugar pra escrever sobre tudo que envolve meu mundo e aquilo que vivo e continuo com meus 1,53cm de altura!

IMG_20180915_150057784

Então se você quer voltar ou começar a acompanhar uma Curitibana, sócia de dois negócios completamente diferentes (Polivita – Nutrição animal e Wooden-Kalt Candle Co. – velas artesanais ), casada em 2015 (com um marido incrível), com um dog vira-lata lindíssimo (@zorrinhothedog), que convive com a Síndrome do panico (e está em tratamento), que é apaixonada pela magia Disney e tem dificuldade de organização é só curtir a página no facebook ou me seguir no Instagram!

IMG_20180913_074624423

 

Coisas que quero fazer antes dos 30 anos – update

Meu projeto de lista de Coisas que quero fazer antes dos 30 foi pausado/repensado por um grande motivo: minhas crises de pânico voltaram. Ainda quero fazer um post sobre síndrome (ou transtorno) do pânico já que essa não é a minha primeira experiência com essas crises e ler sobre isso me ajudou muito da primeira vez! De qualquer forma esse post é mais para falar sobre minha lista mesmo! Vou mostrar pra vocês como estava a lista e o que comecei a pensar depois das crises:

Coisas que quero fazer antes dos 30:

  1. Fazer uma viagem internacional com o Le (pode ser Europa, Eua ou se não der tá valendo até Paraguay)
  2. Completar a iluminação de casa
  3. Ter nosso armário do quarto
  4. Tentar começar um negócio novo
  5. Começar o aprendizado de uma nova língua
  6. Tentar um esporte/exercício novo
  7. Fazer algo que tenho medo
  8. Aprender a dirigir (tenho carteira, mas nunca dirigi depois da auto-escola)
  9. Cozinhar alguma coisa difícil
  10. Conhecer uma cidade nova no Brasil
  11. Pintar uma parede
  12. Organizar as fotos do casamento
  13. Vender algo feito por mim
  14. Presentear com algo feito por mim
  15. Fazer uma poupança
  16. Fazer um pagamento extra no financiamento do apartamento
  17. Ter uma rotina mais saudável (melhor alimentação e mais exercícios)
  18. Guardar dinheiro pra viajar pra Disney em família
  19. Terminar de ler Mulheres que correm com o lobos
  20. Manter minhas plantinhas vivas
  21. Aprender mais sobre um assunto que gosto, pode ser psicologia, moda, sociologia, o que for!
  22. Encontrar uma maneira de me organizar que funcione de verdade (agenda, planner, app)

Eu tinha chego até aí, mas queria 30 coisas, pq né? 30 coisas que quero fazer antes do 30 é mais legal que 23 coisas!

Depois que as crises começaram eu abri essa lista e vi que muita coisa não faz sentido ou colocava ainda mais pressão sobre coisas que nem me importo tanto assim, por exemplo o armário do quarto! Seria legal terminar de mobiliar a casa toda com móveis dos sonhos? Seria! Seria legal realizar isso antes dos 30? Seria! Mas será que isso faz mesmo diferença na minha vida? Não! Me empolguei nessa de fazer a lista de coisas que quero realizar, tentando preencher as tais 30 coisas que só fui colocando coisas que seriam legais se dessem certo, mas que nem são coisas que quero muito que fazer antes dos 30 ou antes de qualquer idade! Por isso mesmo a lista de Coisas que quero fazer antes dos 30 vai virar Coisas que gostaria de fazer nessa vida ou minha bucket list! Algumas coisas eu vou manter, outras vou tirar e quero que não seja algo totalmente fixo, quero sempre atualizar com coisas que tenham mais significado naquele momento da minha vida!

Alguém já fez uma listinha assim?

Dicas Disney- Magic Kingdom – onde comer lanchinhos (snacks)

Depois dos posts com onde comer comida de verdade e onde comer lanches, agora é a vez de falar dos lanchinhos ou snacks (como são chamados pelos americanos). A Disney tem muitas opções de lanchinhos e eu vou mostrar minhas principais escolhas dentro do Magic Kingdom!

Gaston´s Tavernimagem 13Não deixei de provar o Cinnamon Roll (4.49 dólares) e o Croissant de chocolate (3.59 dólares). O Cinnamon roll é um bolinho de canela com calda de açúcar bem típico dos Eua, recomendo que você experimente, mesmo se encontrar em outro lugar!

Liberty Square Market Imagem14Um bom lugar pra uma parada rápida pra comprar algo para beber ou comprar umas frutas (que vão sair bem caras, mas vai que você quer muito ou tem filhos e esqueceu de levar uma frutinha?). A maça custa 1.99 dólares e a banana também, já as uvas custam 3.99. Fora as frutas você também pode comprar pretzel do Mickey por 5.69 dólares e cookies por 2.99.

Main Street BakeryImagem15Um clássico que oferece vários tipos de bebidas, como cafés, chás, frapuccinos e chocolate quente. Confesso que já fui algumas vezes e ainda não achei uma bebida que me agradasse de verdade, mas vou continuar tentando! Os preços variam de 2.29 a 6.39 dólares.

Plaza Ice Cream ParlorImagem16Outro clássico! É aqui que você vai encontra a famosa “Pia do Mickey” – Mickey´s kitchen sink sundae por 16.99 dólares. Eles tem outras opções de sundae por 5.79 e duas bolas de sorvete custam 5.99 dólares.

Sleepy HollowImagem17Ótimo lugar para experimentar o tal de Funnel Cake (esse aí da foto), eles vendem com a calda de morango 7.79 e só com açúcar 6.79.

Storybook Treats Imagem18Tem algumas opções de sorvetes, eu recomendo o hot fudge sundae 4.99 dólares.

Você já foi em algum deles? Recomenda mais algum lugar? Tem um snack favorito? Me conta nos comentários!